Hey!





O desafio de 2017 será ver ao menos 365 filmes!! Não enlouqueci não! 

A ideia é ver 365 filmes em um ano. Pode ser um por dia ou cinco por dia - meu recorde -. 
Mas bem, a ideia está aí. O saldo final tem que ser 365. 

Já estou guardando vários clássicos que vi há muito tempo e não lembro ou alguns que ainda não vi. 

Eu e Paloma do Blog Amor nos Livros  iremos fazer um post semanal falando sobre os filmes, o que achamos e etc.

Se você leitor tiver um filme memorável que acredita que ainda não vimos e PRECISAMOS VER, manda a indicação, afinal, serão 365 filmes!

Beijos <3


Hey!


 Aos 25 anos, recém-formado, Pedro está convencido de que é um sujeito muito especial, que tem a missão de usar o cinema como instrumento para melhorar o mundo. Diagnosticado na adolescência com uma doença degenerativa que o condenaria à cegueira, ele contraria a lógica da medicina quando a perda de sua visão estaciona de forma inexplicável. Enquanto comanda o último cineclube de São Paulo e trabalha em uma videolocadora da periferia, Pedro planeja seu próximo filme, a obra que vai consagrá-lo. E, para animar as coisas, conhece a intrigante Cristal, uma ruivinha decidida, garçonete e estudante de física nuclear, que mexe com seu coração.
A perspectiva idealista de Pedro, porém, sofre sérios abalos. Atormentado por um segredo, ele parte com os amigos Fit, Mayla e Cristal numa longa viagem até Pirenópolis, em Goiás, a bordo de um Opala envenenado. Com câmeras nas mãos e espírito de aventura, a equipe técnica improvisada está disposta a usar toda a sua criatividade na filmagem feita na estrada ao sabor de encontros inesperados e de sentimentos imprevisíveis. E o jovem cineasta descobre que, quando o destino foge do script, nada supera o apoio de grandes amigos

Se você passar toda a vida sem fazer algo excepcional por alguém, viver não terá valido a pena.
 Quando eu terminei de ler esse livro eu pensei: Que título apropriado! 

Um livro sobre amizade acima de tudo. E quando eu leio um livro que fala de amizade como este, bem, eu fico apaixonadíssima. Eu devorei tão rápido que o arrependimento foi grande. Foram menos de 24 horas para que eu tivesse chegado ao fim.

Surpreendente conta a história de Pedro que tem uma doença degenerativa da visão. Isso poderia ser uma tragédia para a vida de qualquer um, mas para Pedro o medo de chegar a cegueira total era mudar o curso de sua vida. Formado em cinema o medo de não poder mais ver o que tanto amava era muito grande.

Enquanto comanda o cineclube e trabalha em uma locadora na periferia, ele planeja o seu próximo filme. Objetivo de ganhar o prêmio para filmes independentes. Nesse mesmo cineclube ele conhece Cristal, a garçonete de cabelos de fogo e estudante de física nuclear, e logo se ver desenvolvendo sentimentos por a garota.

O mundo dele é chacoalhado e colocado em desordem quando ele sofre com um assalto. Depois disso sua vida não é mais a mesma. Com um segredo ele decide chamar os amigos e cair na estrada. Fit, Mayla e Cristal aceitam sem questionamento aventura.

Com uma câmera na mão e um segredo que lhe atormenta, eles seguem viagem.

Este livro tem uma história forte e muito bem elaborada. É viciante, instigante e nos faz sentir cada pedra do caminho de Pedro. Quando eu terminei de ler só falava nele e o pior não tinha ninguém para comentar! Um absurdo!

Surpreendente é aquele livro que lhe desperta empatia e logo seu coração está em pedaços junto com de Pedro. Eu tive que parar em alguns momentos para esperar o nó da garganta desfazer. E eu não choro com livro.

Eu só posso dizer que foi um dos melhores livros que li esse ano. Comprei pela a capa, mas quando li, comprei outro só para dar de presente. Acho que é uma história que todos deveriam ler. Sem contar a lista enorme de indicações de filmes.

Se puder leiam Surpreendente e se não puder, também <3

Beijos!!


What's?!


Hey, fui marcada para responder a tag por Eduarda do blog Parágrafos e Travessões.
Eu acho que a melhor forma de nos conhecermos é através das tags. Aqui vão minhas respostas.


8 coisas para fazer antes de morrer:
  1. Quero poder escrever um roteiro.
  2. Produzir ao menos um curta metragem.
  3. Ter no mínimo dois filhos ( Falta um)
  4. Quero poder viver livros.
  5. Ser fluente em ao menos duas línguas.
  6. Fazer uma viagem inesquecível.
  7. Aprender a dançar.
  8. E poder conhecer todas as minhas amizades virtuais.
8 coisas que tu ama:
  1. Minha filha.
  2. Meu namorado.
  3. Melancia.
  4. Ver series.
  5. Ler e ficar de ressaca.
  6. Escrever compulsivamente.
  7. Comer.
  8. Dormir.
8 coisas que tu odeia:
  1. Estupidez.
  2. Que duvidem de mim.
  3. Muita zoada.
  4. Multidões.
  5. Pessoas chatas.
  6. Egoísmo.
  7. E se sentir impotente diante das coisas ruins que acontece no mundo. 

8 coisas que tu fala:
  1. Oxente.
  2. Eu não me importo.
  3. Me deixe quieta.
  4. Ninguém me ouve.
  5. Que vontade de ser rica.
  6. Eita.
  7. Wow
  8. É foda.

8 makes/roupas que tu não vive sem:
  1. Batom.
  2. Jeans.
  3. Tênis.
  4. Bolsa.
  5. Sapatilha.
  6. Rímel.
  7. Produtos para cabelo.
  8. Perfume.

8 objetos que tu não vive sem:
  1. Celular.
  2. Notebook.
  3. Livro e Kindle.
  4. Óculos de sol.
  5. Pulseiras.
  6. Aliança.
  7. Fones de ouvido.
  8. Caneta.
8 filmes/livros/jogos/séries que tu ama:
  1. Friends.
  2. Grey's Anatomy.
  3. Guitar Hero (Jogo)
  4. Dr. Estranho
  5. Mar da tranquilidade
  6. Surpreendente
  7. Talvez um dia
  8. Mais uma chance.

Além das minhas colaboradoras, eu vou indicar uns blogs que sigo.

Livros em Retalhos
Natureza Literária
Amor Literário

Sintam-se à vontade para responder <3

Beijos, até mais!!


Hey!


Eu não sei por onde começar a fazer esta resenha. Okay. Não vamos chamar de resenha, pois estou com medo de falar demais. 

Eu vinha atrás de algo curto e nesse estilo para ler, e do NADA, em uma postagem aleatória em um grupo eu me deparei com o link, o livro estava de graça e baixei. Comecei a ler e o que logo me segurou foi  escrita impecável. A história já começa acelerada, ao meu ver, lógico. E quando acordei pela manhã a primeira coisa que fiz foi "correr" para ler. Eu PRECISAVA terminar.

Bem, vamos à sinopse?



Jane tinha o mundo inteiro para explorar e uma vida inteira para viver, é o que diziam a ela. Mas depois de engravidar da pequena Cristal o mundo daquela mãe passa a ser sua filha e seu cenário principal, sua casa. Dustin, seu marido há mais de cinco anos, muda radicalmente em sua gravidez indesejada.
Jane só quer viver e fugir daquilo que ela, há tempos, já não chama de “lar”, no entanto, todas as suas fugas falham e sua vida desmorona ainda mais quando Dustin perde o emprego, ficando praticamente trancado com ela e Cristal naquela casa.
Uma mãe de primeira viagem, um marido opressor, um bebê de poucos meses e uma casa. Ninguém sai daquela casa.

“Calafrio” é um thriller psicológico narrado em terceira pessoa que te fará pensar em quem você deve confiar. Porquê de um momento para o outro, nada é mais o que parece ser e suas certezas são balançadas, quando suas dúvidas são aguçadas por um casal desequilibrado e um bebê de meses incertos.


Jane e Dustin tinha um tipo de amor invejável. Nos primeiros capítulos eu fiquei pensando: Nossa, daria um super romance. A história têm duas fases e ambas são contadas em passado e presente - você pode até estranhar, mas creio que foi a melhor forma de contar a história.
Para Jane, amor é uma colisão. Uma colisão de sentimentos mistos, sentimentos de duas pessoas, os quais se entrelaçam, formando um sentimento maior. Porque, para quem ama de verdade, não há quem ame mais ou menos. Há quem ame.
A cada capítulo você cria uma teoria diferente. Ora eu xingava Jane, ora eu xingava Dustin. A história me dominou de uma forma que eu fiquei desapontada por ser pequena, mas acredito que ficou do tamanho ideal, mas quando o livro é bom nunca queremos que acabe, não é mesmo?

Eu não posso falar muito, mas posso lhe afirmar que o final é surpreendente. Acho que foi a única teoria que não criei e por isso ficou tão fascinante. Pois se eu tivesse descoberto não teria tanta graça.

Este livro está recomendadíssimo! 

E acredite que no fundo existe a mais pura história de amor.


Até a próxima aventura!








Hey!

Cancela as passagens!! Já fui e voltei apaixonada de Paris!

NÃO importa como ela soube descrever os lugares, o que importa é que fui lá. Senhor, foi muito bom. Talvez você ainda não entendeu do que eu estou falando, devo soar louca ao seus olhos, mas não é loucura. Quer dizer, não isso aqui. Eu fui à Paris. 

Acabei de ler 365 noites em Paris e quando descobri do que se tratava o título eu fiquei tipo: Quero chorar. O final foi muito inesperado, mas antes que eu posso falar do final, deixa eu apresentar a sinopse.




Charlotte é uma jovem cozinheira que vive em Paris. Por dez anos trabalhou e aprendeu tudo na cozinha do modesto restaurante de seu avô paterno, que por problemas financeiros foi fechado. 

Precisando de dinheiro consegue um trabalho de garçonete no Le Procope, um dos restaurantes mais antigos e nobres da Cidade Luz, lugar onde conhece Benjamin Hastings, um homem culto e despreocupado com a vida. Ben se sente a cada vez mais apaixonado pela jovem, enquanto ela está sempre procurando desculpas para não aceitar o convite de um passeio à margem do Rio Sena. 

Em um dia, ela aceita o convite do charmoso homem e então se vê dentro de uma nova atmosfera amorosa e descobre que o seu admirador é também um amante da gastronomia. Alguém com quem poderia contar para realizar o sonho de reaver o restaurante de seu avô e se tornar uma grande chef.



Gente, Ben e Char são amorzinho junto. A história traz experiências de um turista e uma parisiense. Os lugares descritos faz você dizer: Tenho que ir à Paris. Preciso ver aquela Torre gigante de perto. 

O livro é contado em vários pontos de vista, e como sempre eu fico fantasiando com o amigo do cara, ou seja, Will. Gente, o Ben é tudo, mas eu confesso que tive uma queda por Will. Tão cheio de vida e coragem. As cenas que traz os dois sempre era regada a muita amizade, algo verdadeiro.

Eu posso dizer que esse romance é diferente, muito diferente. Nele conhecemos várias mentes que compõe um enredo muito rico em detalhe. Eu senti o cheiro do hospital que eles estiveram. Eu sei quanto Ben gastou quando comprou Macarons, sei o sabor que tinha a torta que ele comprou, só assim posso explicar a riqueza dos detalhes escritos.

Apesar que morri, queria muito estar com Ben e comer tudo isso.

Como um bom turista Ben tinha várias perguntas e uma que me deixou fascinada foi a explicação para o "apelido" Cidade Luz.


Dizem que chamaram de Cidade Luz por atrair vários artistas famosos que passaram a viver aqui, ou seja, um derivado de "brilhantes" ou "mentes brilhantes" que se destacaram - pintores, músicos, dançarinos, fotógrafos, escritores etc -, transformando a cidade no maior centro de artes do mundo.



Além de Will, conhecemos Alice irmã de Charlotte, Megan melhor amiga dela. 

O romance dos dois é lindo, quando chega as páginas finais e a história começou a tomar corpo, eu fiquei sem saber o que esperar do final. Eu não posso contar, tiraria toda graça, mas posso dizer que veio como um choque. Tudo parecia perfeito. Ele era um cara encantador, ela era linda como ele nunca tinha visto. Mas a vida é uma vadia suprema e nem mesmo o casal que vivia um amor na Cidade Luz sairiam ileso. 

Foi um tanto surpreendente.

A escrita da Miriã é outro feito. O livro flui muito bem, é leve e bem escrito. Quando for ler vá com ideia que não é um romance convencional, mas é lindo. Eu queria poder dizer o que li nas ultimas páginas, mas quando você presenciar esses últimos capítulos entenderá sobre o que estou falando e sentindo.



       Não force o pensamento. Não imagine. Não invente respostas. Apenas viva.


Isso é tudo, pessoal! 

 
 



E ai?

Hoje eu vim apresentar um livro que creio que vocês já ouviram falar. Me recomendaram esse livro há anos e eu nunca tive a oportunidade de ler, mas me deu um estalo e eu decidi ler.
De longe o título do livro me atraiu. Já desperta uma curiosidade imensa.

Eu comecei a ler e não fazia noção do que se tratava na verdade. Eu gosto muito de não ler sinopse - você leu certo, não leio sinopse - nem me apaixonar por capa! Eu sou de cair dentro da história sem esperar muito dela, é quase uma mecanismo de defesa. Se não tenho grandes expectativas, não terei grandes decepções!

Eu amo sentimento de não saber nada. E foi assim com este livro! Eu abri para ver quantas páginas tinha e quando me dei conta já tinha lido 30% do livro, assim... Puff! Ai certo, já estava presa a mente de Hannah Baker e suas fitas, já estava apreensiva tanto quanto Clay Jensen.

O livro traz um tema pesado,  confesso. O suicídio planejado, eu nunca cheguei ao menos saber qual livro teria o mesmo tema.  Mas isso nos tira um pouco do romance mamão com açúcar, se colocar no lugar de Hannah foi o que mais fiz. Mas imaginei você se pegar ouvindo as fitas que uma garota que você era a fim, uma garota que não está mais viva.


Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Ela narra toda a trajetória e deixa claro certos acontecimentos com alguns colegas de escola. Ela se culpa por tudo,  claro. Ela foi vítima o tempo todo, e se sentiu incapaz de mudar a forma como as pessoas a tratavam, ela ganhou uma fama desmerecida e por um tempo soube lidar com isso, mas um efeito cascata a atingiu e uma noite fora de serie levou ela ao estopim, deixando a decisão infeliz se cumprir. Depois daquela noite ela escolheu os nomes e deixou a confissão. Ela queria que eles soubessem do impacto que cada ação, cada mentira teve sobre ela.

O livro traz personagens que muitos adolescentes conhecem na escola, que fazem bullying, assédio moral, e até mesmo sexual. Na verdade esse livro nos mostra que tudo que fazemos traz consequências, seja um apelido "infame" ou uma lista sem graça, ou até mesmo se sentir ligado ou interessado em alguém que não temos coragem de conversar.

Clay levará o arrependimento de ter chegado tarde demais na garota. E no fundo não podemos culpa-lo. Ele não sabia que ela precisa de ajuda. Ela sempre soube disfarçar bem o que afligia todos os dias.

Esse livro me trouxesse uma lição, além de viciante. Certeza entrou para a lista de preferidos e recomendados, aquele que vou indicar à todos.

Até a próxima resenha



Hey!


Quanto tempo, né? Muita coisa acontecendo, entre escrever e viver a vida fica um espaço super curto para vir aqui, mas estamos de volta.

Eu finalizei um livro que comprei por 4,99 e juro que só comprei pelo preço. Um livro por esse preço merece ser comprado. Quando falei para uma amiga ela apenas disse: Leia, se você não gosta, você vai ver.
Eu fiquei com medo. Tipo, já é pressão suficiente ler um livro e quando ele vem sobre ameaça de que se eu não gostar eu teria que ver, eu apenas comecei assim que li a ameaça, eu fiquei curiosa.

E nem por um segundo me arrependi. Hoje quando li a palavra FIM o vazio foi imediato e eu fique com aquele aperto.

Gente, a história é linda! Eles são adolescente, mas não infantis. De cara me identifiquei com eles. Vou colocar a sinopse aqui e falar um pouco sobre o que achei.



Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar.

Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele.

A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. 

À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.

Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.


Nastya é uma personagem intensa, admirável até. Ela fez um voto de silencio para si mesma depois que lembrou do que lhe aconteceu. Mas algumas coisas não saem como planejamos e assim foi para Nastya quando conheceu Josh e seu campo de força impenetrável.
A curiosidade a aproximou dele sem saber mesmo onde estava se metendo.

Os dois são disfuncionais em suas maneiras. 
Não são típicos adolescentes pela a falta de oportunidade causada pelas as tragédias em suas vidas.

Mas aos poucos eles vão se conectando, e se unindo e as dores e cicatrizes são sento menos sentidas. Eles acabam se completando de maneiras que nenhuma pessoa de fora conseguiria. O silencio era confortável para eles e as vezes é exatamente isso que eles precisavam.

E então ele está inclinado sobre mim novamente e me beija e eu concentrada só nisso. Porque é real. É verdadeiro. Algo real, verdadeiro e incrível.

Drew o melhor amigos de Josh usa a Nastya como escudo contra todas as garotas flertando com ele. Nastya não quer nada de Drew e assim eles mantém uma pose. Até que Josh e ela não conseguem negar a atração fazendo eles se rederem.

O livro é contado em dois pontos de vistas, fazendo você afundar na mente deles de uma forma que você torna a dor deles pessoal. Mas quando lembramos que eles têm um ao outro faz tudo melhor. 

O livro é realmente um dos melhores e mais profundos que li em minha vida - sem exageros - fazendo a ameaça valer a pena. Não me decepcionou, não ficou chato. Apenas fiquei partida quando ele acabou.

Um conselho: LEIAM ESSE LIVRO! - hahahaha-

Melhor 4,99 da minha vida <3

Beijos, até a próxima!











Olá lindos e lindas!!!


Hoje vim falar desse livro (Apenas um breve comentário) que encontrei em uma busca quase desesperada por algo bom para ler...
Confesso que fui conquistada pela capa, que por sinal é muito linda <3



Seguindo aquela ideia de que não podemos julgar o livro pela capa, dessa vez eu tive sorte. Estou caminhando o começo do final e até agora só tenho a dar muitos suspiros de amor.

Emma é a protagonista, e sobre ela neste momento eu só tenho que dizer que se eu fosse ela já teria jogado tudo pro ar. Afinal quando se tem uma oportunidade dessas a gente deve agarrar e arriscar.
Apesar disso, Emma não é aquele tipo de personagem se coloca com sofrida e adora viver no seu mundo onde ela é a vitima.
Ela quer lutar para volta a ativa e está tentando fazer fazer isso, mesmo que tenha muitos empecilhos em seu caminho. 



Sobre os outros personagens, alguns estão me deixando bem raivosa, mas é o papel deles né. Já outros como Steph a amiga de Emma, encanta a gente desde o primeiro momento.
Quanto ao Dominic, preciso dizer que sou totalmente a favor dele. Tenho certeza que quando vocês lerem vão me entender.


Encerramos aqui... Só um pequeno comentário sobre esse livro que está me encantando a cada nova frase.
Beijos!!! Até amanhã. ;)


E lá vamos nós... A primeira semana do BEDA concluída com sucesso!!!!



E hoje nós vamos falar de canais literários do YouTube. Alguns com dicas de livros e outros com dicas de escrita. Eu acompanho todos e gosto muito deles, espero que vocês também gostem ;)



Pam Gonçalves
A Pam é catarinense de 25 anos, formada em Publicidade e Propaganda e pós-graduanda em Branding e Criação Publicitária. Produzo conteúdo sobre cultura pop para internet desde 2009, falando principalmente sobre livros para jovens. Seu primeiro livro foi lançado em Junho de 2016 e o segundo está previsto para o segundo semestre deste ano, ambos pela Editora Galera Record.



 
Bel Rodrigues


 Bel nasceu e cresceu em Sata Catarina, formada em Publicidade e Propaganda. No canal você vai encontrar tudo sobre livros, seriados, filmes, debates e até algumas receitinhas de vez em quando. Seu primeiro livro será publicado — pela editora Galera Record.

Cabine Literária
 Cesar, Danilo, Gabriel e Lucia. Com videos toda a semana eles nos divertem com tags, dicas e muita coisa sobre o meio literário.







Esse foi o post de hoje. Espero que você tenha gostado ;) Até Amanha <3


Olá, pessoal!

Todos temos em comum o amor pela leitura, não é verdade?
Então eu venho apresentar dois livros que começaram a ser postado na plataforma Wattpad

Para que não conhece o site é um lugar onde escritores publicam seus livros gratuitamente e leitores podem ler também gratuitamente. E como sempre digo, não tem mais desculpa para não ler, está aí uma prova disso.



O primeiro livro que venho apresentar é do Autor Claúdio Quirino.



Sinopse: Criado por Cláudio Quirino, NOTAS DE UM ESCÂNDALO apresenta a jovem e ambiciosa Luísa, dividida entre a rotina assediada de acompanhante de luxo dos homens mais influentes do país e de uma mulher de família amorosa e dedicada.
O enredo gira em torno de uma descoberta, que, se revelada, poderá levar parte dos homens com que divide a cama à ruína política. Uma descoberta que, para mantê-la longe da mídia, algumas pessoas estão dispostas a matar. NOTAS DE UM ESCÂNDALO vai conduzir você através de uma impressionante e sedutora realidade cercada de reviravoltas surpreendentes, fortes emoções e um final chocante. Até onde seu coração é capaz de suportar as consequências de uma verdade tão terrível?




O segundo livro é da Autora Joselyta Alecrim



Sinopse: Um encontro casual. Alguns reencontros inesperados.
Eva Campos aos 25 anos vivia sua vida no piloto automático. Mas tudo mudou quando ela cruzou com Enzo Dellanney, um CEO lindo e sexy, capaz de tirar o fôlego de qualquer mulher.

Enzo
Eu a quis desde o primeiro momento que eu a vi, mas ela estava fora dos limites. Eu pensei que nunca mais a veria, mas de repente eu a reencontrei no lugar mais inesperado, na minha empresa.
Ela parecia doce e delicada, mas ela foi um furacão, então eu desejei que ela fosse minha para sempre.
Mas tudo parecia perfeito demais pra ser verdade, e então ela me enganou.

Eva

Ele agitou meu mundo tranqüilo e silencioso. Eu tive apenas uma prova dele em um corredor escuro de uma boate. Mas quem poderia saber que ele era o meu chefe?  Eu disse não a Enzo Dellanney, mas depois de algumas horas presos em um elevador, ele me fez querê-lo como eu nunca quis um homem antes.
Eu ganhei os beijos mais quentes que alguém pode ter. O sexo mais intenso que uma mulher pode desejar.
Mas tudo parecia perfeito demais pra ser verdade, e então ele me deixou.




Essas leituras são gratuitas e NACIONAIS!

Vamos conhecer o que nossos autores tem para nos oferecer.

Espero que possam conhecer ambas obras e posso garantir que são de qualidade inquestionáveis.

Beijos, até mais.




Quinto dia de nosso BEDA <3 Muito amor rsrsrs
Hoje com uma resenha de um livro muito querido por mim.


Sinopse:
Não podemos controlar nossos destinos. Somos apenas uma peça no jogo da vida. 
Callie sofreu um acidente que a levou ao hospital. Tirou as pessoas mais importantes sua vida e como se não bastasse, apagou sua memória. 
Entre sofrer durante meses por suas lembranças esquecidas e conseguir seguir em frente, Callie passou por dias doloridos. Conviver com o branco na mente não foi fácil, não lembrar das últimas palavras dos pais, como foi o ensino médio ou porque ela fazia aquela viagem a deixavam com uma sensação de vazio no peito. 
E esses espaços em branco só podiam ser preenchidos por suas memorias inexistente. 
Como sempre, Calliope encontra conforto na música e a banda Perfeita Simetria parece a entender em todos os aspectos. Assim como em uma terapia, a vontade de voltar ao mundo logo surge e ela dedica seus estudos a se tornar produtora musical – a mesma carreira de seus pais – e continuar o legado de sua família. 
E como obra do destino, a banda precisa de uma gravadora nova. Ela vê isso como uma oportunidade de agradecer pessoalmente a banda que tanto a ajudou a superar uma fase difícil de sua vida. 
Mas não é apenas essa brincadeira que o destino vai fazer. Há muito mais do que músicas em seu encontro com Rafael, o cantor/compositor da banda. Há também a sensação familiar que lhe ocorre quando acontece o primeiro encontro. 
Há sentimentos que não podem ser apagados quando eles estão marcados como tatuagem sobre a pele.



Tenho um carinho especial por esse livro e pela historia nele traçada. Não sei como começar a falar desse enredo e dessa historia <3. Esse é o segundo livro da autora lançado na Amazon.

Callie é uma garota encantadora e forte, apesar de tudo o que perdeu. Seus pais e a sua memoria. Seguiu com a sua vida, tendo o irmão mais velho a a melhor amiga que também é sua cunhada, como apoios e família.

Callie e o seu irmão administram juntos uma gravadora, ela como produtora musical. Então Callie tem a oportunidade de trabalhar com a sua banda preferida Perfeita Simetria.

O novo drama de Andreia Nascimento nos mostra a vida de Callie, anos após o acidente que lhe tirou tanta coisa.
Conviver com a falta de lembranças e o vazio, lhe faz sentir como se não houvesse perdido somente lembranças, mas o vazio que ela sente é bem maior que isso. Rafael, vocalista na banda chega para abalar as estruturas da protagonista e nossa - pobre leitores mortais - ele também é compositor. 

Com a aproximação de Rafael, trabalhar com a banda e as musica em sua vida, o desejo por suas memorias perdidas torna-se maior. Ela precisa de suas memorias do passado para enfim se sentir completa n presente.
Rafael pode ajudar nisso, ele e o seu jeito encantador. <3



Mais um romance onde a autora soube exatamente como nos deixar ávidos por informações e por saber até onde vai esses dois. Escrita meiga e intensa, personagens cativantes e apaixonantes.
Terminei esse livro totalmente encantada, ele me deixou com aquela ressaca. Recomendo a leitura neste exato momento. Sem arrependimentos ;)
E a partir daqui tudo o que eu falar está totalmente sujeito a spoilers.



Beijos e até amanhã;) 


Olá, pessoal



Gente! Hoje trouxe algumas curiosidades sobre os livros da Dira Arrais. Para você que conhece as obras da autora e tem curiosidade sobre enredo, personagens e muitas outras coisas. Aqui é sua parada certa!

Primeiro vamos saber um pouco sobre ela:


Meu nome é Indira, mas quase cem por cento das pessoas me chama de Dira. =D Então ficou. Sou psicóloga, funcionária pública, e moro em Teresina – Piauí. Sou uma leitora compulsiva, não do tipo que lê todos os lançamentos, mas do tipo que quando começa um livro só larga quando termina. Cansei de virar noites, perder aula ou algum compromisso por não conseguir parar de ler. 


Perguntas: 
1.    Como descobriu a paixão pela escrita?


Eu sempre gostei de escrever, desde as redações da escola às cartas para os amigos. Chegou uma época, no fim da adolescência e começo da juventude, que comecei a me sentir inspirada no que eu lia/via. Vinham à minha mente continuação das histórias que eu tinha acesso. Nessa época, descobri as ficções de fã, e achei no Orkut uma comunidade só de fanfictions de Orgulho e Preconceito. Lendo aquilo pensei: também posso fazer isso. Nasceram alguns Elizabeth Bennet e Darcy’s. Mas chegou um tempo que eles não eram mais suficientes, comecei minha primeira história original, Novo Horizonte, e depois não consegui mais parar. 

2.     O que lhe inspira?


Tudo me inspira. Absolutamente tudo. Uma música, um trecho de livro, uma frase num muro qualquer da cidade, um sorriso, uma cena que eu vejo (seja em filme, seriado ou na vida real), um sonho, algo que me contam, algo que eu vivi... E principalmente o silêncio. Adoro dirigir em estrada. Quando estou dirigindo, me vêm muita coisa à mente.


3.  Quem foi a primeira pessoa a ler seu primeiro rascunho?


A Tânia Picon. A gente se conheceu na comunidade de fics no Orkut, e não me pergunte como ou porque, ficamos amigas. Já faz tanto tempo que eu nem lembro mais como começou essa troca de livros. A gente escreve e envia imediatamente uma para a outra, capítulo a capítulo. Somos nossas maiores criticas e maiores fãs também. O engraçado é que nunca nos vimos, mas somos amigas pessoais mesmo, e nos falamos todo santo dia. 

Vamos falar um pouco sobre Novo Horizonte:
1.    Novo Horizonte é uma cidade fictícia de Santa Catarina. Por que o nome? O significado do nome da cidade reflete na personagem Lua? Como?


O nome é esse, porque a Lua, sem saber, foi buscar isso em Londres, um novo horizonte, uma forma nova de ver o mundo. Só, que, para enxergar de forma diferente, não é preciso sair do lugar, basta pensar diferente. E quando ela volta, e tudo aquilo acontece, ela percebe que seu Novo Horizonte é justamente aquela cidadezinha que ela sempre detestou, mas que precisou sair, para descobrir que ali é o seu lugar. É justamente isso que reflete na personalidade dela.


2.   
Por que uma cidade fictícia de Santa Catarina?


Pelos seguintes motivos: A ideia para o livro veio numa viagem que eu fiz para Santa Catarina em 2009. Foi lá que eu imaginei a história acontecer, então só obedeci, digamos assim, a minha inspiração. E trata-se de uma cidade fictícia, porque eu não queria ter que pesquisar esses detalhes geográficos, e nem correr o risco de errar. Existem cidades com esse nome, inclusive no meu estado, e eu só descobri isso depois do livro pronto, mas não acho que seja um problema. Outra motivação pra isso, é que NH foi meu primeiro livro, minha primeira criação original, e eu sempre fui muito tímida, então eu queria, de certa forma, me afastar da obra. Não quero que a minha vida pessoal esteja relacionada com o conteúdo do livro. É óbvio que muito de mim entra no que eu escrevo, mas acho um saco ter que ficar explicando que eu não sou meus personagens e nem vivi nada daquilo, então, achei melhor “fazê-los viver” num estado bem longe do meu! Rs!
3.    Há cidades do mesmo nome, leitores questionaram isso?
Não, nunca ninguém questionou. Acho eu, que pelo fato de muitas cidades no Brasil compartilharem o mesmo nome.
4.    

3.Por que Leoni nos títulos dos capítulos?


Por que não? Rs! Da mesma forma que Santa Catarina me inspirou, quando eu ouvia as músicas do Leoni, automaticamente eu transformava algum trecho da letra em capítulo. O livro foi escrito inspirado nessa trilha sonora, então achei justo, homenagear o compositor com o nome de cada capítulo. Logo abaixo do título, inclusive, coloco o trecho da música que tem a ver com o enredo. Por exemplo, o primeiro capítulo se chama A casa na montanha, e o trecho da música é o seguinte: “Mas, eu só percebi quando era tarde (...) que eu me tranquei sozinho com o inimigo, que vai passar a vida aqui comigo, vivendo do meu medo e solidão”. (A Casa na Montanha – Leoni)
Essa música tem tudo a ver com o livro. Primeiro, o fato da casa do Arthur, e posteriormente do Eduardo, ser no alto de uma colina. (Até porque ficaria estranho um brasileiro morar no alto de uma montanha).
O Arthur, apesar de só aparecer no livro através de lembranças, é um personagem extremamente importante pra obra. Ele é o responsável tanto pelo encontro do Edu com a Lua, como, de certa forma, pela separação. E a história dele, só é revelada completamente no final, e explica o motivo do isolamento.


4.    Para você Lua é racional ou sonhadora?


Para mim ela é dramática! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!
Falando sério, acho que o amor pela literatura a deixou um pouco sonhadora. Ela é tão sonhadora, que cobrou do Apollo uma perfeição que não existe. Quando ela vive em Londres, e cai na realidade adulta, amadurece bastante e coloca mais os pés no chão, se tornando mais racional.

5.    Os anos longe de Eduardo, como Lua se tornou?


Me doeu muito separar esses dois. Mas foram anos necessários. A Lua precisava crescer, e o Edu a protegia demais. Na verdade, ela só demorou tanto tempo, porque algumas coisas complicaram no meio de campo. Os planos não eram morar em Londres, mas conhecer Londres, passar uma temporada. 

6.    Fale sobre o processo de construção do Apollo:


É um tópico bem complexo, porque o Apollo é inspirado em alguém real, mas que com o tempo, foi ganhando contornos e roupagens e se tornou independente do “modelo”, digamos assim. Ele é baseado no meu melhor amigo, que se chama Aquélis, e faleceu dois anos antes do livro ser escrito. Essa é uma das coisas que o livro tem da minha vida. Embora a Lua não tenha sido inspirada em mim, eu queria que a relação dela com o Apollo fosse o mais parecida com a que eu tinha com o Aquélis: a gente realmente se conheceu aos sete anos, nós éramos como irmãos, apesar de termos morado a maioria do tempo em cidades diferentes, e ele era a única pessoa com quem eu me sentia a vontade para falar sobre tudo. Só que a medida que a história foi sendo escrita, o Apollo ganhou vida própria. Ele sequer deveria ter chegado ao fim do livro, muito menos ter ganhado seu próprio livro, mas ele me despertou tanto amor, que não consegui largá-lo. A questão da hospitalização também tem a ver com o Aquélis. Ele não sofreu um acidente, como o Apollo, mas tinha um problema de saúde e passou por várias cirurgias e internações e superou limites a vida inteira. Eu tentei passar isso, em “Como cão e gato”, a dificuldade de estar num hospital, dependendo das pessoas, sem saber se vai acordar no dia seguinte, o esforço psicológico e físico na reabilitação e a importância da família e dos amigos.

7.    Quais os elementos para montar seus personagens?


Não tenho uma resposta racional pra essa pergunta. Eu não penso em como os personagens vão ser, ou em quem eles são. Penso e construo situações para eles se mostrarem, e a medida que vão se mostrando, vou percebendo quem eles são e porque se comportam assim. A Lua, por exemplo, ela vive em conflito com a família, se acha a vítima e também a dona da razão. Demora anos para ela perceber que não é vítima, e que a mãe, o pai e a irmã se comportam como sabem, como aprenderam, e não por maldade. Só após amadurecer, ela percebe que há amor naquela família, embora todos, inclusive ela, tenham dificuldades em demonstrar. Não há vilões, em Novo Horizonte, há personagens com defeitos e qualidades, embora, por ser narrado em primeira pessoa, a ótica da Lua fica mais explícita.

8.    Com relação ao livro Novo Horizonte o perdão é um dos pontos fortes para que a história se complete. Para você, quais são os passos do perdão?


Pra mim só existe um passo, entender que não há vítimas ou algozes. O viver é um eterno jogo de ação e reação. A ação de alguém, que por ventura, eu considere algo ruim, muitas vezes já é uma reação a algo que aquela pessoa viveu, e que até eu posso ter sido responsável por, digamos assim, acionar o gatilho. Quando consigo entender que ninguém é perfeito, e que todos erram, o perdão vem naturalmente.

9.    Qual dos teus livros você tornaria real, se pudesse?


Essa é uma pergunta cachorra! Kkkkkkkkkkkkkk! Como responder isso? Eu amo os meus personagens, alguns mais do que outros, então é óbvio que eu gostaria que todos pudessem existir. Mas se for pra escolher um, eu escolheria “Como cão e gato”, porque simplesmente eu sou louca pelo Apollo. Apesar dele também estar em outros dois livros, esse é o livro onde ele é o protagonista, é o seu final feliz, e se tem um personagem que merece um final feliz, esse personagem é o Apollo! =D

10.   O que te desanima ao ler um livro:


Excesso de erros, independente do tipo: ortografia, continuidade, pesquisa.
Clichês: Homem rico poderoso/Mulher fraca, pobre e submissa; Nerds/Populares; Virgens/Cafajestes, entre outros.
Exageros e cenas fora da realidade em livros que não são do gênero fantasia.
Romantização de abuso, pedofilia e incesto. Nem continuo a leitura.


Links para compra



Bem, agora você já conhece um pouco da autora, curiosidade sobre os personagens, sobre o livro! Espero que mesmo que não a conheça, tenha despertado a vontade de dar uma espiadinha. A Dira é um amor <3

Olha que foto mais que especial que me enviou:






Beijos, até o próximo post <3